Menu
Fechar

Envie seu trabalho!

Preencha com seus dados e envie o arquivo em pdf.
Nome

E-mail

Escolha a seção

Enviar arquivo (.pdf)

Voltar

Conheça o Rachão Basquete Feminino


Criado em 2014, o Rachão Basquete Feminino nasceu por causa da dificuldade que as mulheres encontravam de entrar nas quadras públicas da cidade de São Paulo. Foi uma união de ideias de mulheres que viram a demanda, que foi: por que as mulheres não estão utilizando o parque público para praticar as atividades físicas que elas gostam? Por que elas não conseguem identificar também como um espaço delas?, explicou a educadora física e coordenadora de projeto social, Priscila Regina, de 37 anos.

A conquista pelo espaço não foi fácil. Ellen Valias, Priscila Regina, Aline Inocêncio e Roberta Magalhães, que estão à frente do movimento, contam que por muitas vezes, o grupo enfrentou e enfrenta o machismo. “Quando conseguiam, enfim, jogar, eles atiravam bolas dentro da quadra, xingavam, mandavam voltar para casa e lavar louça, e até ameaçavam chamar a polícia para retirá-las.”, fala Roberta Magalhães.

Rachão Basquete Feminino

O Rachão é um ambiente inclusivo e democrático para mulheres de todas idades e corpos, que não precisam ter habilidades no esporte. A única regra é querer jogar.

Com encontros marcados em todos os últimos domingos do mês, o Rachão Basquete Feminino reúne de 30 a 70 mulheres ao longo do dia. Em grupo de aplicativo de conversa são cerca de 300 participantes – incluindo integrantes de outros estados e países – para o movimento acontecer e conectar mais a rede do Rachão.

Apesar de ter representantes, o Rachão Basquete independe da quantidade de meninas dentro de quadra para ser possível. Uma única mulher ocupando um espaço para jogar basquete já representa o movimento que defende o direito de jogar. “Através do basquete, tentamos trazer a mulher para reconhecer o seu lugar na sociedade mesmo: o de ser protagonista. O que normalmente é tirado de nós. E mostramos para elas que podem ser o que quiserem. E o basquete é uma ferramenta para isso.”, conclui Roberta.

E se você quiser fazer parte do projeto ou participar de um rachão acesse

@rachaobasquetefeminino e fique por dentro de tudo que está rolando.

PUBLICAÇÕES RELACIONADAS
A CBB apoia este site

CBB
© Copyright 2020 - Mulheres à Cesta. Todos os direitos reservados. O conteúdo deste site não pode ser reproduzido, distribuído, transmitido, ou usado, exceto com a permissão prévia por escrito.
Fale conosco – [email protected] - Site by Miss Lily.
Utilizamos cookies para melhorar sua experiência on-line. Ao continuar a navegar no site, você concorda com a nossa "Política de privacidade"
Você pode retirar seu consentimento a qualquer momento, alterando a configuração do navegador e removendo os cookies armazenados. Saiba mais.
Concordo